sexta-feira, fevereiro 16, 2007

DESBAFOS OU DESESPERO

Neste momento, aquele que nem pareço conseguir avaliar nada, somente pulsa em mim algo bastante estranho, algo que me toma, algo que me faz perder o sentido pela vida. Olho a crueldade das pessoas e sinto-me tão mal que nem sei mais o que fazer. Perco a vontade de fazer alguma coisa, como que algo na vida fosse importante, enquanto se inventam formas de dar sentido, sem que todo o sentido fosse sentido par alguma coisa. Somo s um nada irremediável.
A mãe parece que se está a despedir do mundo, continua mal, agora apenas vegeta sem que mais nada se possa fazer. Isto é que evidencia todo o problema, chegando ao ponto que já nem fala, nem como, apenas é alimentada por uns tubos. A todo o momento o seu fim quer aparecer. Não sei lidar com a situação e os meus melhores amigos afastaram-se de mim, nem me respondem a mensagens. Perante tudo isto começo a sentir ódio, raiva e vontade de destruir tudo. Tento controlar-me e ao mesmo tempo sinto que a vida não vale nada e todo o sentido é vão, ainda que seja o que possa ser procurado.
Posso estar com uma depressão, com algo, não sei lidar com a rejeição e depois juntam-se várias doenças psicossomáticas, provocando-me desarranjos no estômago.
Profissionalmente faço o que gosto, mas isto não é tudo. Tenho direito a ser feliz mas parece que não o consigo e tento procurar isso todos os dias. Estou demasiadamente cansado e nada me satisfaz. Confesso que se neste momento tivesse que escolher para dormir para sempre, em paz, era o que queria. Não aguento mais tudo isto e falar com quem quer que seja também não adianta, ninguém me entende e só com algumas pessoas é que se pode falar. Que vida, que raiva. Nem as tretas da religião me servem para alguma coisa, cansei de todas as mentiras e de tudo o que é estúpido. Chama-me de pessimista ou do que bem entendas, isso pouco me importa. Acordei a esta hora, preocupado e a sentir uma dor na alma. A escrita parece que é a única coisa que faço para aliviar um pouco e não aborrecer com ninguém, uma vez que desisti de contar com os outros.
Penso que não sou a melhor companhia para ninguém e agora os meus amigos, os meus melhores amigos afastaram-se. Onde existem palavras de conforto para a minha dor?
Onde… resta-me escrever é a única solução para me manter ainda vivo. Resta-me acalmar a mente.

16.02.2007 – 04:13h

2 Comments:

Blogger hglcjjj said...

Hello! You have a very nice blog! I'm here to share valuable info with you visit my blog,about Mozilla Firefox web browser.

4:25 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A nossa mente é em dúvida uma armadilha... os pensamentos assolam-nos e não os controlamos...
Sem dúvida que o sentido para além de ser reconhecido pelos outros está em cada um de nós. Mesmo que o acaso pareça apenas um acaso, às vezes não o é... e o silêncio é por vezes um eco de vozes interiores! Carpe Diem

4:37 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home